Steve Stevens: muito além do Billy Idol!

Por Otávio Juliano - Junho/2019

Talvez esse nome não lhe traga uma lembrança imediata à mente. Talvez você sequer o conheça (ou sequer saiba que o conhece), mas certamente já o ouviu tocar guitarra, ainda que sem saber de quem se tratava.
O homem por trás da principal composição da trilha sonora do filme Top Gun (no Brasil, “Ases Indomáveis”) e responsável pelas linhas de guitarra de “Dancing With Myself”, famosa canção do Billy Idol, é exatamente ele... Steve Stevens!



(capa da trilha sonora do filme – o nome de Stevens aparece juntamente com Harold Faltemeyer, com quem compôs a canção)

Ficou mais fácil agora? Provavelmente sim. Stevens nasceu no Brooklyn, em Nova York, em 5 de maio de 1959, sendo iniciado na guitarra quando criança. Demonstrando facilidade para tocar mesmo tendo sofrido um acidente em sua mão direita, o pequeno Steve cresceu e seguiu praticando diariamente.

Em 1979, quando este que vos escreve viria a nascer, Stevens já formava sua primeira banda, a Fine Malibus, alguns anos antes de conhecer o vocalista Billy Idol, fato que mudaria seu futuro para sempre.

Ainda que de nacionalidades diferentes – Idol é inglês e Stevens americano – e donos de estilos antagônicos – Idol veio do Punk Rock e Steve sempre teve um visual mais característico de músicos de Hard Rock – o destino de ambos estaria traçado para sempre e estaria formada uma relação que perdura até os dias de hoje. “Eyes Without a Face”, “Rebel Yell”, “Flesh For Fantasy” e a citada “Dancing With Myself” são alguns dos frutos resultantes dessa parceria Idol/Stevens.


(foto do website http://billyidol.net/steve-stevens/)

“Top Gun Anthem”, a faixa gravada por ele para a trilha sonora do mencionado filme Top Gun o elevou ao status de ganhador de Grammy por “Melhor Performance Instrumental de Pop Music” e chamou a atenção de ninguém menos do que o Rei do Pop, Michael Jackson, por quem Stevens é convidado a gravar as linhas de guitarra para a canção “Dirty Diana”, do multipremiado álbum “Bad” (1987).



Ainda que seu trabalho com Billy Idol tenha sido interrompido durante um período a partir de 1988, Stevens deu sequência à carreira, com lançamentos diversos no mundo do Rock, incluindo um disco autoral, com sua banda Atomic Playboys, em 1989, e um trabalho muito elogiado ao lado de Vince Neil, então ex-vocalista do Mötley Crüe, em 1993.


(capa do álbum lançado por ele ao lado de Vince Neil)

Lá se foram turnês, shows, gravações em parceria com outros músicos e um projeto de canções instrumentais, até que Stevens ressurge em 1999 com o disco solo “Flamenco a Go-Go”, trazendo elementos de música flamenca, Rock e Pop, mesclados com seu estilo virtuoso de tocar.

Versátil, Stevens sempre foi capaz de transitar em diferentes vertentes musicais, mostrando muita qualidade em canções como a faixa-título deste álbum de flamenco e em “Our Man in Istambul”. Ouça-as e tire suas próprias conclusões.


(capa do disco “Flamenco a Go-Go”)

Eu sinceramente nem sei de onde vem toda essa adoração pelo estilo desse talentoso guitarrista, já imensamente reconhecido e celebrado mundialmente. Não me recordo da primeira música que o ouvi tocar ou de um momento exato que justifique tamanha admiração que tenho por Stevens.

Mas isso não importa. Quando olho para trás simplesmente me vejo como um apreciador da obra completa deste guitarrista. Musicalmente falando, desde que me “conheço por gente” eu aprecio a sonoridade e a forma de Stevens mostrar sua arte por meio da guitarra e, racionalmente falando, são muitas as razões para isso. Sua carreira e seu reconhecimento mundial mostram isso.

A bem da verdade é que Steve Stevens consegue cativar fãs e músicos, inspirando e influenciando-os, destacando-se não somente por seus riffs bem elaborados e por sua agilidade ao tocar a guitarra, mas também por sua competência na execução de composições mais lentas, bem como sua versatilidade para mesclar e tocar diferentes ritmos musicais.


(foto do website http://billyidol.net/steve-stevens/)

Minha intenção aqui não é tornar você leitor um fã do Steve Stevens, embora reconheça que ficaria muito feliz em saber que ao menos uma pessoa se interessou em buscar material do guitarrista, após a leitura desse texto. De qualquer forma, fica aqui meu convite para “um passeio” pela carreira de Stevens. Mesmo que você já o conheça dos trabalhos com Billy Idol, eu recomendo fortemente que vá atrás de todo o material lançado por ele. Garanto que fará bem aos seus ouvidos! :) 

Pesquisa

Redes Sociais

Newsletter