SP Trip - Bon Jovi e The Kills, Allianz Parque - 23/09/2017

Por Rogério Talarico
Fotos gentilmente cedidas por Camila Cara

Em Abril deste ano, um novo festival nasceu e foi anunciado com o nome de “São Paulo Trip”. A promessa era trazer grandes nomes do rock clássico e contemporâneo para a cidade de São Paulo, isso tudo inspirado no livro “On the Road – Pé na Estrada” de Jack Kerouac, lançado em 1957.

A Mercury Concerts, produtora responsável pelo evento cumpriu com a promessa e trouxe a terra da garoa bandas como The Who, Bon Jovi, Aerosmith e Guns N’Roses além de muitas outras incríveis bandas, separando-as em 4 datas. A MetalConcerts.net esteve presente e contará como foi cada um dos dias.

O segundo dia do “SP Trip” foi marcado pela lotacão máxima do estádio – vale a pena frisar que foi o único dia que teve seus ingressos esgotados – e foi capiteneado pelo Bon Jovi com a abertura dos índies do The Kills.

Bon Jovi, renomado cantor americano que ficou mudialmente conhecido por sua beleza e seus hits nos anos 80, retornou ao país para uma série de 3 shows, sendo o último na cidade de São Paulo. Divulgando seu último disco “This House Is Not for Sale” (2016), Jovi abriu sua apresentação com a ótima música de mesmo nome do álbum. Assim como todas as atrações principais do “SP Trip”, Bon também é um ‘hitmaker’ e apresentou o melhor dos seus lançamentos e é claro, suas canções popularmente conhecidas por ‘mela cueca’ como “You Give Love a Bad Name” e “In These Arms”. Mas Bon Jovi também mostrou seu peso em “We Weren't Born to Follow” e “Lay Your Hands On Me”, porém em versões um pouco mais lentas do que as gravadas nos discos, talvez mostrando um leve desgaste físico e vocal.

Um momento marcante do show foi na execução da música “Bed of Roses” em que Jovi chamou uma fã ao palco e beijou-a, além de dançar com ela durante toda a canção, deixando-a náo somente ela como as outras mulheres que estavam alí presentes boquiabertas. Saindo do climão ‘romantico’, Bon Jovi botou fogo em sua apresentação com mais um de seus hits, “It’s my Life”, do álbum “Crush” (2000). Outro fato importante a citar é a interação entre o frontman e seus companheiros de banda, em todo momento ele se comunicava com o guitarrista Phil X, o tecladista David Bryan e o baterista Tico Torres.

Na reta final do show ainda rolou “Have a Nice Day”, “Keep the Faith” e a clássica “Bad Medicine”, com a banda se retirando do palco, após o vocalista apresentar um a um. No bis, contamos com a bela “Always” e é claro o ‘grand finale’ “Livin' on a Prayer”, que foi cantada a plenos pulmões por todo o público. Assim como feito pelo The Who no primeiro dia, Jovi supreendeu a todos e voltou mais uma vez ao palco para executar “These Days”, um presentaço para os fãs paulistas pois a música não foi tocada nas outras 2 datas do cantor pelo país. É inegável que o Bon não possui mais o alcance vocal de outrora mas é incrivel ver como ele e sua banda dão o máximo de sí no palco. Bon Jovi não é apenas um galã da música e um hitmaker, é um showman de primeira.

A abertura da noite ficou a cargo dos norte americanos do The Kills. Formada pela vocalista e guitarrista Alisson “VV” Mosshart e pelo baterista e guitarrista Jamie “Hotel” Hince, a banda teve cerca de 40 minutos para apresentar músicas de sua carreira e também de seu último álbum “Ash & Ice”, lançado em 2016. O estilo das 2 bandas deste dia destoou bastante mas sem dúvidas a banda formada nos anos 2000 conseguiu cativar e aquecer o público, não somente pela qualidade de seu som mas também pela calorosa apresentação de Alisson, que se entrega de corpo e alma no palco. Destaque para a execução de “Baby Says” e para a ultima canção da apresentação, “Monkey 23”.

Agradecimentos a Denise e Simone Catto da Catto Comunicação pela atenção e credenciamento.

Set List The Kills:

Heart of a Dog
Kissy Kissy
Hard Habit to Break
Baby Says
Echo Home
Pots and Pans
Monkey 23

Set List Bon Jovi:

This House Is Not for Sale
Raise Your Hands
Knockout
You Give Love a Bad Name
Born to Be My Baby
Lost Highway
We Weren't Born to Follow
Lay Your Hands On Me
In These Arms
New Year's Day
(You Want to) Make a Memory
Bed of Roses
It's My Life
Someday I'll Be Saturday Night
Wanted Dead or Alive
I'll Sleep When I'm Dead
Have a Nice Day
Keep the Faith
Bad Medicine

Bis:
Always
Livin' on a Prayer

Bis 2:
These Days

Pesquisa

Redes Sociais

Newsletter