Gorgoroth - Hangar 110, São Paulo - 07/12/2017

Por Leandro Cherutti

A lendária banda norueguesa de Black Metal, Gorgoroth, alcançou no ano de 2017 a respeitada cifra de 25 anos de existência e em comemoração saiu em uma extensa turnê mundial, a qual passou por terras paulistanas no último dia 7 de dezembro, onde realizou uma excelente apresentação na tradicional casa de shows Hangar 110. A banda se formou em 1992 na cidade de Bergen, pelas mãos de Roger Tiegs, mas conhecido sobre o codinome “Infernus”. O grupo provavelmente esteja entre os mais polêmicos do cenário Black Metal, em 2004 por exemplo, gravaram um DVD na terceira maior cidade da Polônia, Cracóvia, onde utilizaram no palco cabeças de ovelhas espetadas em estacas, litros e mais litros de sangue animal e modelos crucificados e totalmente desnudos, isto causou tanta controvérsia que rendeu ao grupo uma investigação por parte das autoridades locais, sobre a acusação de ofensas religiosas, o que é passível de cadeia neste país. Sem citar os inúmeros problemas com a justiça por parte de Infernus e seus ex- companheiros. Mas deixemos isto de lado e vamos ao que interessa.

Foi em um final de tarde e início de noite que me dirigi a Rua Rodolfo Miranda,110. Cheguei ao local por volta das 19h45 e não havia uma grande movimentação por parte dos fãs, mas convenhamos, era uma quinta – feira e a galera poderia estar presa no caótico transito da capital.   Mas não foi o que aconteceu, quando entrei no recinto às 20h50 notei que realmente o público não havia comparecido em massa, uma pena, porque a noite merecia casa cheia.

O relógio andou e o show que estava previsto para iniciar às 21 horas teve um pequeno atraso, mas nada muito grande, passados 20 minutos, a música que estava tocando se cortou e uma movimentação passou a ocorrer por detrás das cortinas, havia chegado o momento, as luzes se apagaram e a conhecida canção Marche funèbre de Frederic Chopin passou a ecoar neste instante, servindo de introdução para a fabulosa Bergtrollets Hevn, um hino pertencente ao disco AntiChrist. Na sequência tivemos duas grandes faixas do excelente trabalho Quantos Possunt ad Satanitatem Trahunt sendo a primeira Aneuthanasia e logo depois umas das melhores faixas do Gorgoroth em minha opinião, Prayer, musica originalmente gravada por Pest, ex-vocalista do grupo e que foi muito bem interpretada por Hoest, dono de um vocal poderosíssimo.

A quarta composição a fazer parte do repertório foi Katharinas Bortgang, encontrada no primeiro Full-length da banda de 1994. Sem muita conversa, Hoest seguiu com o show anunciando Revelation Of Doom, que é dona uma pegada forte e direta. O público sempre que podia interagia com a banda, e um grupo em especifico fazia coro gritando pelo nome Infernus, que muito timidamente movimentava sua cabeça em forma de agradecimento. No geral a energia vinda do palco esteve esplêndida, o que fez aumentar ainda mais o entusiasmo do público. A hora estava andando de forma rápida e neste momento nos aproximávamos da metade do espetáculo, era hora de Forces Of Satan Storms fazer parte deste poderoso setlist.

Do clássico álbum Under the Sign of Hell tivemos uma dobradinha avassaladora Ødeleggelse og Undergang / Blood Stains the Circle que se fundiram em uma só composição, se tornando em um dos grandes momentos dentro do evento.

Os músicos seguiram de forma intensa e sem perder tempo tocaram Cleansing Fire, seguiram com Destroyer e Incipit Satan. A reta final se iniciou com a boa Krig e seguiu com uma composição do mais recente trabalho Instinctus Bestialis de 2015 intitulada Kala Brahman e finalizaram com Unchain My Heart!!!

Após 60 minutos o Gorgoroth deixou o palco ovacionado. O grupo realizou um show coeso e direto, sem muito discurso, fechando com chave de ouro a maratona de shows internacionais na cidade de São Paulo. Provavelmente este tenha sido o último evento que presenciei no Hangar 110, já que os proprietários anunciaram no início do ano o seu fechamento ao termino do ano. Uma pena, pois é uma casa muito aconchegante e de fácil acesso, lá pude prestigiar grandes nomes do metal extremo. Ficará a saudade!

Setlist

1 - Marche funèbre (Frederik Chopin)
2 - Bergtrollets Hevn
3 – Aneuthanasia
4 - Katharinas Bortgang
5 - Revelation Of Doom
6 - Forces Of Satan Storms
7 - Ødeleggelse og Undergang / Blood Stains the Circle
8 - Cleansing Fire
9 - Destroyer / Incipit Satan
10 - Krig
11 - Kala Brahman
12 - Unchain My Heart

Agradecimentos ao Costábiile Salzano Jr da The Ultimate Music Press pela atenção e credenciamento.

Pesquisa

Redes Sociais

Newsletter